Sobre

O termo holonomia decorre da junção de dois radicais gregos, “holos” (totalidade, completo, inteiro) e “nomos” (lei, norma, conhecedor), significando, dentro da proposta científica do físico David Bohm, a lei que rege o todo, o holomovimento, uma totalidade indivisível e inseparável, que é a realidade em que vivemos. Segundo Bohm, totalidade, que é “whole” em inglês, possui o mesmo radical de sagrado, “holy” em inglês, permitindo uma ligação entre totalidade e santidade, o sagrado. A procura é por um conhecimento integral. “Portanto, deveis ser perfeitos (santos) como vosso Pai celeste é perfeito (santo)” (Mt 5, 48).

A partir dessa visão, que rompe com a interpretação de Copenhague descrevendo o mundo em termos materialistas regido pelo princípio da incerteza de Heisenberg, busca-se o desenvolvimento de uma ciência coerente em seus termos, integral, que implica o reconhecimento da verdade de uma ordem total que molda o mundo em unidade espiritual, psíquica e física, tal como ditado pelo monoteísmo.

Holonomia, como a lei do todo, é uma lei de razão, uma lei lógica, é expressão do Logos, da Inteligência que entende a Si-mesma, como no Monoteísmo, em que há Um Deus, Uma Ordem, a que tudo está submetido, sendo Jesus Cristo sua expressão humana, exemplo de vida santa, saudável, integral.

A proposta, desse modo, é de um conhecimento unificado, em termos científicos, em que res extensa e res cogitans são aspectos de uma mesma estrutura de realidade, de uma mesma Substância.

Outrossim, holonomia é uma forma científica de descrever a ação do Reino de Deus.

Os dois primeiros artigos, principalmente, Para uma nova ciência (https://holonomia.com/2016/08/01/para-uma-nova-ciencia/) e Ciência: a luta do cosmos contra o caos (https://holonomia.com/2016/08/13/ciencia-a-luta-do-cosmos-contra-o-caos/) apresentam uma introdução ao tema deste sítio, sendo leitura obrigatória para familiarização com a tese em desenvolvimento, o que indica que os textos estão sujeitos a correções ou atualizações pontuais. Pode ser destacado que o artigo Para uma nova ciência foi aprovado como projeto apresentado para ingresso no Curso de Mestrado Acadêmico “Sistemas Jurídicos Contemporâneos” (Sistemi Giuridici Contemporanei), na Universidade de Estudos de Roma Tor Vergata (Università degli Studi di Roma “Tor Vergata”), e não foi desenvolvido por opção do autor, que já possuía o título de Mestre em Direito, sendo a proposta mais adequada para uma tese de doutorado.

O resultado esperado da pesquisa é a comprovação de que existe unidade científica e religiosa, a criação se rende ao Criador, pois a parte, mesmo integrando o Todo (Deus é onipresente), não pode ser maior do que Ele, sendo que uma das consequências da ação de Jesus Cristo, como, dentre outras qualidades, o maior cientista que já existiu, foi superar o rompimento dos povos entre si e entre a humanidade e Deus, tornando possível o conhecimento de Deus, da Ordem Integral, do Logos, a Razão Absoluta, a todos, independentemente de sua origem carnal, abrindo o caminho para a Vivência em seu mistério humano. “Não há judeu nem grego, não há escravo nem livre, não há homem nem mulher; pois todos vós sois um só em Cristo Jesus” (Gl 3, 28).

A ordem cósmica contém uma ordem humana, um Direito humano, como espécie, expresso principalmente na Torá, que teve seus reflexos no Alcorão, e culminou no Evangelho, que já vigora majoritariamente em termos lógicos no plano internacional, mas que de fato sofre influência do príncipe deste mundo, do poder econômico e do materialismo ideológico com implicações políticas e religiosas.

O tempo presente é de transição, de superação da fase metaestável do universo, conforme medições do bóson de Higgs e suas implicações cósmicas (a conclusão do valor encontrado para o bóson de Higgs é no sentido de que nosso universo é como um gelo em processo de derretimento, está em mudança de fase); é iminente a Parusia, ou seja, a presença da manifestação dessa Ordem na mente humana e na sociedade, quando será definitivamente instalado o Reino de Deus, isto é, a ordem internacional justa e equilibrada voltada ao pleno desenvolvimento da humanidade, com a efetivação da holonomia no contexto humano planetário, o que somente ocorrerá com uma ação coletiva de todos nós seguindo o exemplo de nosso Líder, o Filho do Homem, Jesus Cristo.

Quem viver, verá, e quem não viver, também…

THIAGO BREGA DE ASSIS

GRADUADO EM DIREITO PELA UFJF, ESPECIALISTA EM DIREITO EMPRESARIAL E ECONÔMICO PELA UFJF, MESTRE EM DIREITO PROCESSUAL PELA UERJ E MAGISTRADO DO TJMG.

OS ARTIGOS TÊM A PRETENSÃO DE SEREM OBRAS TÉCNICAS, FRUTO DE PESQUISA CIENTÍFICA NO DESENVOLVIMENTO DE UMA TESE DE DOUTORAMENTO EM DIREITO, PARA EVENTUAL DEFESA, SE ESSA FOR A VONTADE DE DEUS.

CASO HAJA INTERESSE EM CITAÇÃO EM OBRA CIENTÍFICA, MUITOS ARTIGOS, COM POSSÍVEIS PEQUENAS ALTERAÇÕES, EM ALGUNS CASOS NO NOME, SÃO PUBLICADOS EM COLUNA SEMANAL NO SÍTIO EMPÓRIO DO DIREITO (http://emporiododireito.com.br/perfil/thiago-brega-de-assis), REVISTA JURÍDICA ELETRÔNICA, ISSN 2446-7405, QUE TAMBÉM É EDITORA DE OBRAS JURÍDICAS (http://emporiododireito.com.br/).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s