The End of Quantum Reality

The End of Quantum Reality” é um documentário produzido por “The Philos-Sophia Initiative” (https://philos-sophia.org/), instituição que tem o objetivo de contribuir para a transformação de nossa civilização através da recuperação do aspecto “vertical” da realidade cósmica, com base nas descobertas filosóficas e científicas de Wolfgang Smith.

O documentário objeto deste artigo foi lançado no início de 2020, e adiei o cadastro em novo sítio de disponibilização de vídeos pela internet até recentemente, quando conheci a página Lumine TV (https://lancamento.lumine.tv/cadastro/), através de e-mail recebido do próprio sítio Philos-Sophia. Com surpresa, descobri que também está disponibilizado no sítio o documentário “The Rise of Jordan Peterson”. O melhor é que a plataforma disponibiliza 14 (quatorze) dias de acesso gratuito ao seu conteúdo, pelo que esse terceiro motivo torna imperativo o convite para conhecer o vídeo sobre o trabalho e o pensamento de Wolfgang Smith, e também de Jordan Peterson e a vida de santos, como o Padre Pio, todos com legenda em português.

Assisti ao filme na noite de ontem, cujo assunto é um dos mais complexos, talvez o mais elaborado tema da Ciência e da Filosofia dos últimos cem anos, e que retoma uma discussão de séculos, que, na verdade, surge com a própria Filosofia.

Por que poucas pessoas sabem disso? Wolfgang Smith dá uma resposta quando justifica o abandono de sua bolsa de estudos em Filosofia três semanas após o início do curso.

Se no início de sua carreira acadêmica ele pensava que a Física era o caminho para a compreensão do mundo, depois descobriu que a Filosofia havia se tornado para ele uma busca sagrada, porque significava “amor à sabedoria”, relativo à sabedoria profunda, mística, espiritual, que está além de acrobacias mentais, e por haver amor, não apenas uma questão profissional.

Tal como David Bohm, Smith entendeu que a ciência como a entendemos hoje é insuficiente para explicar o mundo, sendo necessário um retorno à sua origem, à Filosofia. Assim, depois de se formar em Física aos 18 (dezoito) anos, Smith foi cursar Filosofia na Universidade de Cornell, mas lá ficou apenas três semanas, abandonando o curso. Em suas palavras:

Depois de três semanas, eu não aguentava mais, não aguentava o ambiente. E fui ao diretor de departamento de Filosofia e disse: ‘Estou desistindo de minha bolsa de estudos. Vou embora’. Porque para mim filosofia era Philo Sophia. E aquelas pessoas: a) não estavam interessadas em Sophia; também não havia nenhum Philos, nenhum amor em seus corações. Era algo profissional, era frio, era seco (…) e senti não apenas que eu não estava interessado naquilo, eu senti que era uma profanação de algo que é fundamentalmente sagrado. Me senti como se estivesse sacudindo a poeira dos meus pés.”

Em suas falas, Jordan Peterson também afirma que a Universidade de hoje subverte a sua função, que 80% (oitenta por cento) dos trabalhos universitários das humanidades, das chamadas ciências humanas, não são citados uma única vez, e nem mesmo os amigos olham esses trabalhos, o que significa um fracasso institucional. Peterson diz que as universidades falham, prolongando o período de adolescência, não ensinando a falar em público, a ler criticamente ou a escrever. Destaca que a busca pelo conhecimento não se encerra aos vinte e poucos anos, e que a Universidade não vem servido ao público maior para o qual foi instituída.

Portanto, é possível dizer, com Smith, que a Sabedoria tem sido profanada, mas o sacudir a poeira dos pés não é desistir, é continuar, haja vista que o Evangelho, e é disso que se trata, é por isso que Universidade foi criada no seio da comunidade Cristã, o Evangelho continua a ser pregado, e continua a se espalhar, a Boa Nova é cada vez mais presente, e da inconsciência representada pelas eleições de Trump e Bolsonaro chegaremos à consciência da necessidade de um Governo submetido à Vontade de Deus, ao Logos, e não à mentira politicamente correta que domina a academia materialista e ateia e a grande mídia.

Para isso, o trabalho de Smith é indispensável, mas insuficiente, porque se é necessário reformular a Filosofia dos últimos quinhentos anos, é também urgente compreender a Teologia de Cristo, corrigindo dezoito séculos de desvio pagão fruto de influência platônica. Nesse ponto, a base aristotélica da Filosofia de Smith está no caminho certo, e deve ser utilizada também na Teologia, para a melhor compreensão da ideia de Encarnação, que o próprio Smith menciona, mas que o dogma acaba por impedir ser melhor entendida.

A recuperação da dimensão Vertical exige que se entenda o verdadeiro significado de “Deus acima de todos”, de uma Verdade ontológica, e Teológica, que o Cristianismo esqueceu, incluindo o fato de que o Messias é também um líder político e faz a vontade do Pai, o Único Deus, e maior que todos. Nas palavras de Cristo: “o Filho, por si mesmo, nada pode fazer mas só aquilo que vê o Pai fazer” (Jo 5, 19); “Meu Pai, que me deu tudo, é maior que todos e ninguém pode arrebatar da mão do Pai” (Jo 10, 29); “o Pai é maior do que eu” (Jo 14, 28).

A verticalidade também se aplica a Jesus, o enviado de Deus, como obviamente a nós, os enviados do enviado, para proclamar o Reino.

Em qualquer cidade em que entrardes e fordes recebidos, comei o que vos servirem; curai os enfermos que nela houver e dizei ao povo: ‘O Reino de Deus está próximo de vós’. Mas em qualquer cidade em que entrardes e não fordes recebidos, saí para as praças e dizei: ‘Até a poeira da vossa cidade que se grudou aos nossos pés, nós a sacudimos para deixá-la para vós. Sabei, no entanto, que o Reino de Deus está próximo’. Digo-vos que, naquele Dia, haverá menos rigor para Sodoma do que para aquela cidade. Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Pois se em Tiro e Sidônia tivessem sido realizados os milagres que em vós se realizaram, há muito teriam se convertido, vestindo-se de cilício e sentando-se sobre cinzas. Assim, no Julgamento, haverá menos rigor para Tiro e Sidônia do que para vós. E tu, Cafarnaum, te elevarás até ao céu? Antes, até ao inferno descerás! Quem vos ouve a mim ouve, quem vos despreza a mim despreza, e quem me despreza, despreza aquele que me enviou’” (Lc 10, 8-16).

Em verdade, em verdade, vos digo: o servo não é maior do que o seu senhor, nem o enviado maior do que quem o enviou. Se compreenderdes isso e o praticardes, felizes sereis. Não falo de todos vós; eu conheço os que escolhi. Mas é preciso que se cumpra a Escritura: Aquele que come o meu pão levantou contra mim o seu calcanhar! Digo-vos isso agora antes que aconteça, para que, quando acontecer, creiais que Eu Sou. Em verdade, em verdade, vos digo: quem recebe aquele que eu enviar, a mim recebe e quem me recebe, recebe aquele que me enviou” (Jo 13, 16-20).

A ubiquidade da realidade quântica transforma o pensamento materialista em loucura, dando novo espaço às questões espirituais na mais fundamental das ciências, e por isso haverá menos rigor para Sodoma do que para a Universidade, de modo que as ideias de Wolfgang Smith devem ser seriamente consideradas, trazendo o conhecimento de volta ao mundo real, ao reino das qualidades, porque “o grande projeto para reduzir o mundo ao que pode ser medido e operado por instrumentos e procedimentos da ciência física está chegando ao fim”, abrindo o conhecimento da humanidade novamente para um cosmos integral, em que o Caminho a ser seguido… é para cima, pela dimensão vertical da cruz, ligando terra e céu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s